segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sorte x Escolhas

Gosto muito de três escritoras (bem modernas e realistas) e vez por outra "me perco" em seus textos. São elas Martha Medeiros, Rosana Braga e Claudia Cecília.
O que elas tem comum? uma fã! Euzinhamesmo.
Passeando agora pouco pelos sites da vida, achei esse texto da Martha Medeiros:
"Pessoas consideradas inteligentes dizem que a felicidade é uma idiotice, que pessoas felizes não se deprimem, não têm vida interior, não questionam nada, são uns bobos alegres, enfim, que a felicidade anestesia o cérebro.
Eu acho justamente o contrário: cultivar a infelicidade é que é uma burrice. O que não falta nessa vida é gente sofrendo pelos mais diversos motivos: ganham mal, não têm um amor, padecem de alguma doença, sei lá, cada um sabe o que lhe dói. Todos trazem uns machucados de estimação, você e eu inclusive. No que me diz respeito, dedico a meus machucados um bom tempo de reflexão, mas não vou fechar a cara, entornar uma garrafa de uísque e me considerar uma grande intelectual só porque reflito sobre a miséria humana. Eu reflito sobre a miséria humana e sou muito feliz, e salve a contradição.
Felicidade depende basicamente de duas coisas: sorte e escolhas bem feitas. Tem que ter a sorte de nascer numa família bacana, sorte de ter pais que incentivem a leitura e o esporte, sorte de eles poderem pagar os estudos pra você, sorte por ter saúde. Até aí, conta-se com a providência divina.
O resto não é mais da conta do destino: depende das suas escolhas. Os amigos que você faz, se optou por ser honesto ou ser malandro, se valoriza mais a grana do que a sua paz de espírito, se costuma correr atrás ou desistir dos seus projetos, se nas suas relações afetivas você prioriza a beleza ou as afinidades, se reconhece os momentos de dividir e de silenciar, se sabe a hora de trocar de emprego, se sai do país ou fica, se perdoa seu pai ou preserva a mágoa pro resto da vida, esse tipo de coisa.
A gente é a soma das nossas decisões, todo mundo sabe. Tem gente que é infeliz porque tem um câncer. E outros são infelizes porque cultivam uma preguiça existencial. Os que têm câncer não têm sorte. Mas os outros, sim, têm a sorte de optar. E estes só continuam infelizes se assim escolherem."



domingo, 26 de abril de 2009

Essa é para pensar (abaixo a frescura)!!!!!!


Domingo entre amigos!
Muito churrasco, bebida, sorrisos, papo furado, enfim tudo que normalmente rola em aniversário de amiga (com mileum amigos). Dia bom demais!
É, tudo bem que teve um tempinho que "fiquei de castigo" na sala. Foi durante o jogo - toda vez que eu cismei de ir lá fora o time vermelho e preto fez gol!
Então supersticiosamente resolvi sentar na sala e só sair de novo quando o jogo terminasse (afinal eu torcia para o adversárioo)! ha ha ha
A merda foi que só percebi isso depois do segundo gol. Mas, tudo bem!
Como dizia uma música da minha época "o importante é competir!". Acho que era do Ultraje...

Fui para casa repensando o quanto a tarde foi agradável e o quanto algumas pessoas tem a mania de reclamar de tudo!
E me peguei fazendo uma reviravolta mental nos poucos passos que separam as nossas casas, pensando se eu também perco tempo assim! putz...
Coisa mais sem nexo se prender a detalhes!

Acabou seu batom predileto e lá está você fazendo drama!
O carinha foi comprar cerveja e não estava tão gelada, putz, fecha o tempo e você passa a conhecer o mau humor do sujeito!
E por aí vai! é bem nosso isso.
Não só os outros, mas eu, você, seus familiares, amigos, quem é que nunca reclamou "por nada"?. Eu confesso... já resmunguei sem necessidade várias vezes!
Desci a rua meio que me dando esporro cantarolando e rindo sozinha:
"...Eu estou descontraído
Não que eu tivesse bebido
Nem que eu tivesse fumado
Pra falar da vida alheia
Mas digo sinceramente
Na vida a coisa mais feia
É gente que vive chorando de barriga cheia
É gente que vive chorando de barriga cheia
É gente que vive chorando de barriga cheia..."
Cheguei em casa, sentei aqui para ler meus e-mails e ouço meu pai falando para minha mãe (com toda intimidade de telespectador): "vai começar o Dráuzio!"
Imediatamente dei um salto e fui para a frente da TV pois sabia que a série do momento é sobre transplantes de órgãos (uma amiga havia me perguntado se eu assisti ao de semana passada). O assunto tem nos sensibilizado muito ultimamente . Infelizmente.
Mas, de qualquer forma, sempre que posso, procuro assistir as séries dele (Dr. Dráuzio Varella).
Cara, não sabia que mexeria tanto comigo!

E que, coincidência ou não, me faria voltar a meus pensamentos de minutos antes!
Primeiros segundos do programa e lá já estou eu soluçando pelo que estava vendo!
Gente é muito sério. E triste.
Eles abordam vários aspectos deste tema (como são feitos, dificuldade de doadores, expectativas de quem está na fila de espera, etc).
Hoje eles focaram no transplante de pulmão!

Saca quando está a fim de dar uma volta e reclama que vai ter que levar bolsa (quando na verdade queria sair sem "anexos") porque tem o celular, a chave, o batom, o documento, etc? pois é... a jovem de 27 anos da reportagem TEM QUE LEVAR UM CILINDRO DE OXIGÊNIO com ela à tiracolo.
Aí você me pergunta "idaí"? Daí que não é porque ela quer né lindinho (a)?
Não é opcional. Ou é isso ou ela não sai. O cilindro faz parte da vida dela. Sem ele, ela não consegue. É igual a esse (inclusive as rodinhas):

Tudo né? você ir ao Shopping usando um desses?????????
Nossa... ir ao cinema eu já não sei se ela consegue, pois ela pode lançar mão deste "anexo" (pelo que entendi na reportagem) durante 4 horas. Já sabe que se alguém nesta situação estiver no Rio, morar na Zona Norte e resolver visitar um Shopping da Zona Sul, corre o risco de não voltar para casa né? (além de tantos outros motivos) porque literalmente o ar pode acabar! Vejam que absurdo isso. Parece surreal. Mas não é.
Em casa? ah em casa ela tem uma super máquina de oxigênio ligada a ela por uma espécie de cano de borracha com comprimento de 20 metros!
Isso. Ela pode sim se movimentar dentro de casa. Sabendo que não irá ultrapassar o portão. Esse é o limite. Segundo a reportagem, ela convive com isso desde criança quando descobriu seu problema de saúde (aguardava ansiosamente um transplante).

Gente!!!!!!!!!! Que vergonha que me deu...
Não uma vergonha vergonha, mas aquela coisa tipo assim "que coisa feia" você reclamar que o esmalte da sua unha está descascando apesar de ter sido pintado anteontém! Pois é...
Fiquei alí parada com o controle da TV na mão, olhando, refletindo, chorando!
Lembrei do comentário que o Felipe deixou no post anterior e concordo com ele: tudo serve de experiência. E aprendizado.

Claro que não quero aqui levantar bandeira nenhuma (ainda) ou mesmo fazer propaganda do Fantástico, mas que essa de hoje me fez pensar, ah isso fez!
Saí da frente da TV direto para cá e quis dividir com vocês.

Desejo uma boa semana a todos.
Uma semana de Paz e Bem. E, de preferência, sem frescuras.
Alguns links:

sábado, 25 de abril de 2009

Buscando explicações para o que não há!


Esses dias todos em casa tem me dado tempo para pensar e perceber muita coisa que a correria do dia a dia não permite...
Claro, como eu já imaginava, não cheguei a conclusão nenhuma de nada que resolva qualquer coisa, mas vale registrar alguns trechos.

Nem fui tão "lá trás" em um passado muito distante. Passeei por aqui por perto mesmo!
Para ser mais exata, 2006 para cá!
Lembrei de "amizades", amores, dos meus empregos e de como as coisas mudaram para o bem e para o mal de lá para cá.
Quantos dissabores, traições, pessoas de má índole (intrigas, fofocas), e muita, mas muitaaaaaaaa mentira mesmo!
Das mais inocentes (para quem acredita ser possível) às mais descaradamente deslavadas.
Graças à Deus, muitas dessas pessoas saíram de circulação mas outras continuam por aqui e foi aí que eu parei na tal tecla da explicação.
Será que há? Por que raios isso acontece?

Ou pior! será que acontece ou eu estou deixando acontecer para passar por coisas ruins de novo?! Ai que dilema!
Muitas vezes tive vontade de dizer não a pedidos de perdão, de "add no orkut", de atender telefonemas, de retornar no msn.
E aí o meu lado bonzinho sempre falando mais alto (será que para se "f" de novo????).
Resolvi sair dos questionamentos de amizade e tentar ver pelo lado profissional!
PQP!!!! Que merda hein?! acho que foi pior!
Lembrei do emprego desta época que tinha todososdefeitosacima e mais um pouco já que além de lidar com cobras criadas soltas em corredores acarpetados, meu salário (baixo) ainda atrasava! De bom? só duas grandes amizades. O resto, foi resto.
Depois, achei que estava indo para o céu e todos ficavam felizes por eu estar do lado de cá da poça (menos eu). Afinal, o X do problema é a Alameda!
E, quem é que se importa com horas a fio de engarrafamentos diários na Ponte? eu não sou! amooooooooooo trabalhar no Rio! rssss
Fora as crueldades que passamos por lá!
como dizia mestre Ri, quanto "esvazeamento moral"!!!!!!!
Foi a primeira vez que conheci o tal do "stress". Saí de lá na cadeira de rodas! toda travada. Nada mexia. Foi F! tinha esquecido dessa!
Mas, resisti!

De bom só a amizade delas:



Amo vocês meninas!
De lá pedi demissão e fui para a furada do ano (e de lá para a mesa de cirurgia)!
Claro, mas só sabemos que é furada depois que embarcamos, certo???
Trabalhei para "C" para montar uma loja. Fui mestre de obras, secretária, assistente administrativa, financeira, vendedora, faxineira, boy e ainda parece ter sido pouco.
Tá bom! sim sim...
E, claro de rebarga fez meu preconceito contra "pastores" aumentar e muito!
Pouco - na verdade muito pouco - foi o que ficou disso tudo (até hoje meus amigos me chamam de boba por não os ter processado). Mas, adoro evitar fadigas! kkkkkkkkkkk
A crise financeira ajudou a destruir mais um sonho. Conheci pessoas horrorosas e que me fizeram muito mal.
Algumas boas que até hoje não sei se poderia ou não ter confiado. Mas, fez parte.
E no campo sentimental? Aff Maria!
Aí foi a fase mais louca e deliciosa de minha vida!
Onde, não faltaram um "amor para recordar" e um do tipo "me perdoa por te traíres" kkkkkkkk
E hoje?
Hoje meus queridos eu vos digo:
Vamobebepurquenamorartafoda!
E chega de papo furado né?
Vida que segue! Sempre.
Chega de passado! Gosto mesmo é do presente! De viver cada minuto intensamente!
E, feriado que vem para não cair no mesmo erro e ter tempo de pensar demais, vou colocar a mochila nas costas!
Ou como diz amiga Lília, "vou meter o pé" rsss
A gente se esbarra! Bjs

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Cada um com seu cada qual...

Hoje pensei assim, "p... há um tempão sem postar e vai postar falando do óbvio?"

Idaí? não é o que o coração está pedindo? e quem me conhece sabe o quanto eu costumo obedecê-lo! (por vezes bem mais do que deveria). rsss

Passei por um episódio triste ano passado que poderia ter sido muito pior do que foi....

Claro, atribuo primeiro e sempre a Deus por nos ter dado tamanho livramento e em segundo lugar a ele!

Incrível é que todas as vezes que eu me vejo em situação de perigo ou medo, é só prestar atenção que essa música está tocando por perto... é de arrepiar!
Geralmente estou com uma amiga que também estava no dia do assalto e ela sempre me olha, rimos em silêncio e abaixamos a cabeça meio que em agradecimento por termos saído ilesas daquilo tudo.

Maluquice? surperstição? chame como quiser! eu chamo de !
Eu canto mesmo para OGUM!!!!!!!!!!!!!
com todas as forças do meu pulmão e com todo respeito que se deve ter com qualquer santo, orixá, membro de igreja, padre, pastor...

Como disse muito muito bem Sandra de Sá (que aprendeu com a avó dela): "CADA UM COM SEU CADA QUAL".

Que me discriminem, que falem, que comentem, mas sou devota mesmo "IDAÍ"????

Tá preocupado comigo? Pague minhas contas!

Ogum - Zeca Pagodinho
Composição: Claudemir / Marquinho PQD

Eu sou descendente zulu
Sou um soldado de ogum
Um devoto dessa imensa legião de Jorge
Eu sincretizado na fé
Sou carregado de axé
E protegido por um cavaleiro nobre

Sim vou na igreja festejar meu protetor
E agradecer por eu ser mais um vencedor
Nas lutas nas batalhas

Sim vou no terreiro pra bater o meu tambor
Bato cabeça firmo ponto sim senhor
Eu canto pra Ogum
Ogum

Ogum
Um guerreiro valente que cuida da gente que sofre demais

Ogum
Ele vem de aruanda ele vence demanda de gente que faz

Ogum
Cavaleiro do céu escudeiro fiel mensageiro da paz

Ogum
Ele nunca balança ele pega na lança ele mata o dragão

Ogum
É quem da confiança pra uma criança virar um leão

Ogum
É um mar de esperança que traz abonança pro meu coração
Ogum Ooogum

Deus adiante paz e guia
Encomendo-me a Deus e a virgem Maria minha mãe
Os doze apóstolos meus irmãos
Andarei neste dia nesta noite
Com meu corpo cercado vigiado e protegido pelas as armas de são Jorge
São Jorge sentou praça na cavalaria
Eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem
Tendo mãos não me peguem não me toquem
Tendo olhos não me enxerguem
E nem em pensamento eles possam ter para me fazerem mal
Armas de fogo o meu corpo não alcançará
Facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar
Cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Jorge é da Capadócia.Salve Jorge!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Se fosse para ficar na sombra, eu ficaria em casa!


Se fosse pra ficar na sombra, eu teria ficado em casa!::
Rosana Braga

Há alguns meses, estive na praia de Ipanema, na linda Rio de Janeiro. Verão intenso, muita gente se divertindo e, sentados na areia, um pouco adiante de mim, três pessoas conversavam animadamente. Uma delas era um rapaz que, por conta de um detalhe, destoava da grande maioria ao redor: embora fosse por volta do meio dia e o calor estivesse escaldante, ele não estava se protegendo do sol.
A certa altura, aproximou-se o moço que alugava esse tipo de acessório e ofereceu:
- Você quer que eu lhe traga um guarda-sol?!?
E ele, muito à vontade na situação em que estava, respondeu quase que indignadamente:
- Meu caro, se fosse pra ficar na sombra, eu teria ficado em casa!

Num primeiro momento, tanto o tom da voz dele quanto a convicção de sua decisão em permanecer sob o sol soaram quase como uma piada para mim.
Mas agora, depois de passado todo esse tempo, comecei a me dar conta de quantos diferentes significados aquela frase foi ganhando.
Passei a, repetidas vezes, não só me lembrar, como também a criar metáforas para a tal assertiva.
Ficar na sombra é, na linguagem da psicologia, manter-se na inconsciência; é como aquela parte do iceberg que fica debaixo d’água, invisível aos navios, podendo provocar graves acidentes.
Ficar na sombra também quer dizer não se expor, não enfrentar determinada condição como ela é.
E, no caso de lançar mão de um acessório para se proteger ou se esconder, é ainda uma estratégia para não ter de lidar com algo que pode estar incomodando, ainda mais se sua intensidade for grande.
Claro que, no caso real, é indiscutível que uso de protetor solar e do guarda-sol são extremamente indicados e benéficos à saúde; mas meu intuito não é julgar a escolha do rapaz e sim refletir sobre o impacto que a afirmação tão convicta dele me causou.
Fez com que eu pensasse quantas vezes a gente prefere ficar mergulhado na sombra a sair de casa e ir à luta, ou dar a cara à tapa como diz o ditado popular.
Quantas vezes preferimos uma falsa segurança - ainda que escura e nebulosa - ao risco, à possibilidade de tentar.
E - pior! - quantas vezes saímos de casa e, ao sentirmos o calor do sol, ou seja, a chance de viver plena e intensamente uma oportunidade que a vida nos apresenta, corremos em busca de uma sombra, assustados, inseguros.
Preferimos nos omitir a expressar o que pensamos, o que sentimos, o que queremos. E assim, de sombra em sombra, tentando nos esquivar da condição real, vamos perdendo chances incríveis de realizar um sonho, de ocupar um cargo há tempos desejado, de experimentar um amor, de desbravar o desconhecido e, enfim, de nos transformar numa pessoa melhor...
Talvez esteja aí a resposta para tantas atrocidades sendo cometidas, para tamanho mal-estar que tem rondado o planeta de um modo geral: muita sombra imposta sobre lugares, pessoas e situações onde poderia estar brilhando o sol. Muita escuridão onde poderia estar inundado de luz. Muita inconsciência onde bastaria um pouco mais de coragem, um pouco mais de disponibilidade ou simplesmente o exercício de nossa verdadeira humanidade.
Portanto, a conclusão a que chego quando me lembro daquela intrigante frase do rapaz da praia de Ipanema - Se fosse pra ficar na sombra, eu teria ficado em casa! - é a seguinte: que fechemos nossos guarda-sóis, que paremos de inventar tanta sombra para nos proteger ou nos esconder do que está aí para ser vivido... e que sejamos, deste modo, bem mais audaciosos quando o convite for para a vida, para o bem e para o amor!


Obs: Valeu Leandro (Filé) por me lembrar deste texto maravilhoso!
Bem a calhar... ;)

quinta-feira, 16 de abril de 2009

O passado...

Composição: Reinaldo


Por favor!
Não me olhe assim
Se não for
Por viver só prá mim...
Aliás se isso acontecer
Tanto faz
Já me fiz por merecer...
Mas cuidado não vá se entregar
Nosso caso não pode vazar
É tão bom se querer
Sem saber
Como vai terminar...
Onde a lucidez se aninhar
Pode deixar
Quando a solidão apertar
Olhe pro lado
Olhe pro lado
Eu estarei por lá...

Mas cuidado não vá se entregar
Nosso caso não pode vazar
É tão bom se querer
Sem saber
Como vai terminar...

Onde a lucidez se aninhar
Pode deixar
Quando a solidão apertar
Olhe pro lado
Olhe pro lado
Estarei por lá...





Meu blog (título novo)

Não, não mudei de blog. E, nem pretendo!
Mas é que no papo cabeça de segunda até isso saiu. Acompanhem:
L: P_ _ _ _ amiga, o show de sábado foi "F" né?
Eu: Nem fala... algumas músicas são fortíssimas!
L: cantarolou um pedaço de Lucidez! (detalhe: sem se atentar ao título)
Eu: amiga, amo essa música por trazer recordações do _!
Lembra, tem ela no meu orkut e meu blog tinha esse nome por causa dela! Essa música é uma "palestra"
(Muitos risos)
L: gostava mais do nome anterior do seu blog!
Eu: eu também! Paz e Bem eu gosto, mas não faz parte de mim como Lucidez!
Pronto!!!!!!! Tá explicado. rss
Como diria Mandona, "como eu gosto" - nos mínimos detalhes. rsss
Beijos



Foto: Eu no "meu lugar": Alto do Morro que divide as praias do Peró e Conchas - Peró - Cabo Frio - RJ

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Repensando...



Um saco essa história de pensar na vida!
Na verdade não acho tão ruim assim, o negócio é que ainda que involuntariamente tenho perdido tempo demais fazendo isso.

Penso tanto que por vezes me pego tentando achar o fio da meada "o que é mesmo que eu estava pensando"?
pois é pessoas, a coisa está séria para essa capricorniana aqui!

Mas, vida que segue...




O findi foi ótimo: muito samba, muitos risos, muito chocolate (hi hi hi), e, principalmente muito papo (furado e não furado).
O melhor deles, foi sem dúvida o da segunda-feira a noite: o papo da ressaca! ha ha ha
Amiga, somos "as malucas né"? rssss

Tenho algumas amigas com quem faço questão de estar ao menos uma vez por mês (algumas no mínimo uma vez por semana) para bater papo furado (força de expressão porque na verdade funciona bem mais que análise).
Pois bem, estávamos eu, minha amiga, a sala ultramegaconchegante do AP dela, um CD de excelente música e uma garrafa de vinho (já viram que saiu até filosofia né?!) kkkkkkkkkk

Cenário perfeito para "balanço" de mais um findi, comentários de alguns homens que talvez valham a pena (otimismo sempre!), troca de opiniões, anseios, objetivos e "coisas de nosso eu". As coisas que queremos esconder até de nós mesmas!
pois é... nossos medos, anseios, frustrações, iiiiiiiiiiiiiiii, enfim, as coisas que não queremos ver e muito menos deixar que os outros vejam ou sequer ousem que elas existem!

É sempre meio "F" admitir que aos 37 anos ainda me pego tendo romantismos e anseios do século passado, mas valeu!
Obrigada amiga pelos toques e retoques!
Valeu porquê se existe algo melhor do que uma cabeça pensante é outra cabeça tão pensante quanto! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


"Tim tim!!!!"
















quinta-feira, 9 de abril de 2009

É como se a gente não soubesse!!!!

A Medida Da Paixão

Lenine
Composição: Lenine/Dudu Falção
É como se a gente não soubesse

Prá que lado foi a vida
Por que tanta solidão?
E não é a dor que me entristece
É não ter uma saída
Nem medida na paixão...

Foi! O amor se foi perdido
Foi tão distraído
Que nem me avisou

Foi! O amor se foi calado
Tão desesperado que me machucou...
É como se a gente pressentisse
Tudo que o amor não disse
Diz agora essa aflição
E ficou o cheiro pelo arFicou o medo de ficar
Vazio demais meu coração...

Foi! O amor se foi perdido
Foi tão distraído
Que nem me avisou
Nem me avisou!,

Foi! O amor se foi calado
Tão desesperado que me maltratou...

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Só para confirmar!


Meninas, vocês são excelente companhia!
Valeu pelos dois últimos findis e pelos próximos que virão!
Beijos


A Amizade

Fundo de Quintal
Composição: Djama Falcão / Bicudo / Cleber Augusto


La laiá, la laiá, la laiá, la laiáLa laiá, la laiá, la laiá, la laiá
Meu amigo
Amigo, hoje a minha inspiração
Se ligou em você

E em forma de samba
Mandou lhe dizer
Tâo outro argumento
Qual nesse nomento
Me faz penetrar

Por toda nossa amizade
Esclarescendo a verdade
Sem medo de agir
Em nossa intimidade
Você vai me ouvir
Foi bem cedo na vida que eu procurei
Encontrar novos rumos num mundo melhor
Com você fique certo que jamais falhei
Pois ganhei muita força tornando maior

A amizade... Nem mesmo a força do tempo irá destruir
Somos verdade... Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir
Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir amigo
Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir amigo

terça-feira, 7 de abril de 2009

Agora é para valer mesmoooooooo


É! finalmente o ano começou... passaram férias, as chuvas de janeiro, carnaval, as águas de março e agora, finalmente terminou o BBB. Ufa... custou! rsss

Até que não posso reclamar nem um pouco deste "tudo novo de novo"! tenho me divertido bastante com minhas amigas, minha "irmã" casou em um lugar lindo e maravailhoso, tive dois finais de semana perfeitos (um de muito sol e praia em pleno outono e outro de samba). Então, do que reclamar? rsss

Aliás, preciso recomendar o sempre bom "Pagode da Tia Doca" (Valeu Sr. Zé!!!). Perdemos nossa pastora, mas o filho dela continua lá firme e forte! ah o sambaaaaaaaaaa.... Samba de raiz da melhor qualidade com aquela galera bonita e totalmente a vontade! aff!


Claro, no meio do caminho tiveram muitas pedras, muitos questionamentos, muito disse me disse (com ou sem hífen?), mas sobrevivi!

O assunto mais comentado entre meu grupinho de amigas, continua sendo o mesmo!
Ah os homens! aff... como são previsíveis!!!!!
Não dá mesmo para esperar novidades de embalagens tão antigas. Não rotular é nosso lema. Deixar as coisas fluírem!
Afinal, saímos sempre em busca em primeiro lugar de diversão. Se pintar algo mais, beleza. Se não, beleza também. Costumamos nos divertir muito!
Estamos tentando fazer nossa parte, mas do que adianta mudar o lay-out (aiiiiiii pelo amor de Deus... caiu ou não o essa *m de hífen?), embalagem, se o rótulo, os componentes do produto continuam os mesmos? não, não esperamos fórmulas mágicas. Somos todas maiores, independentes, seguras e com mais de 30! pedimos só um pouquinho de criatividade...
mas, parece ser pedir demais! :(

E aí acabamos sozinhas! porque parece que o detector dos homens já apita quando nos vê "mulheres seguras", "mulheres sem problemas", "mulheres independentes (inclusive financeiramente)".
Por mais que eu não queira acreditar nesta hipótese, é a explicação mais plausível diante do que temos passado. Nos dias atuais ainda conseguimos dar medo aos homens com nossa independência. Será que é isso? rsss
Um colega meu que se diz admirador de minha postura e comportamento me confessou um fato curioso: disse que não se aproximaria de mim na night! Ficaria com "medo" de levar um fora?!!!!??!!!!
Diante do meu espanto, ele tentou se justificar... "é que você está sempre tão alegre, tão a vontade, que inibe os outos"!
Horas, faça-me o favor! quer dizer então que eu tenho que sair, me divertir, pagar "o aue consumo com o suor do meu emprego" e ainda fazer cara de indefesa e desamparada? aí já é pedir demais! não aceiteie não....
Ao invés de me ajudar, piorou a coisa! rsss
Mas, depois de mais um findi de muitos absurdos presenciados por nós nas noites do Rio, continuo achando que o velho ditado é o melhor caminho: antes só do que mal acompanhada! :P
Bjs