quinta-feira, 25 de junho de 2009

Prazer! Sou eu! Miss Imperfeita!


'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação! E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic. Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO. Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás. Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher. E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a genda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo.Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias. Cinco dias!
Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela. Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza. Tempo para fazer um trabalho voluntário. Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas. Voltar a estudar. Para engravidar. Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina? Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante' .
Martha Medeiros - Jornalista e escritora

sábado, 20 de junho de 2009

Andança



Andança - Beth Carvalho
Composição: Edmundo Souto, Danilo Caymmi e Paulinho Tapajós


Vim, tanta areia andei
Da lua cheia eu sei uma saudade imensa...

Vagando em verso eu vim vestido de cetim
Na mão direita, rosas vou levar...
Olha a lua mansa...(me leva amor) se derramar
Ao luar descansa meu caminhar... (amor)
Meu olhar em festa (me leva amor) se fez feliz
Lembrando a seresta que um dia eu fiz (por onde for quero ser seu par)
Já me fiz a guerra... (me leva amor) por não saber que esta terra encerra meu bem-querer...
(amor)
E jamais termina meu caminhar ... (me leva amor)
Só o amor me ensina onde vou chegar (por onde for quero ser seu par)

Rodei de roda, andei
Dança da moda, eu sei
Cansei de ser sozinha...

Verso encantado, usei
Meu namorado é rei
Nas lendas do caminho onde andei...

No passo da estrada... (me leva amor) só faço andar
Tenho meu amor pra me acompanhar..(amor)
Vim de longe léguas cantando eu vim...(me leva amor)
Vou, não faço tréguas sou mesmo assim (por onde for quero ser seu par)

Já me fiz a guerra... (me leva amor) por não saber
Que esta terra encerra...(amor) meu bem-querer
E jamais termina meu caminhar... (me leva amor)
Só o amor me ensina onde vou chegar (por onde for quero ser par)
Lá lá lá lá lá láLá la lá lá lá lá....



Sabe aqueles dias que você se olha no espelho e pensa: "PQP" por que eu não tenho um namorado? (...)
Pois é... hoje é um desses dias...


Tô carente sim! com vontade de ter alguma companhia assídua do sexo oposto ao meu lado me perturbando, me ligando, enchendo minha cabeça (já tão ocupada) de mais algumas preocupações; não tomando decisões óbvias do tipo eu ter que decidir para onde iremos no final de semana, na sexta depois do expediente, eu ter que fazer agenda de dois, ter que lembrá-lo dos aniversários dos familiares, de comprar o presente para a mãe dele (mesmo quase sempre ela querendo nos matar por existirmos nas vidas dos filhos delas), enfim cacetada de coisa ruim que vem no "pacote". Mas, sou obrigada a admitir, que tem também as compensações. Lá isso tem!
Eu só precisava de um abraço, de um telefonema, tá! até de atenção na porra do msn onde as pessoas falam com você e com a torcida do Flamengo ao mesmo tempo e ainda têm a capacidade de perguntar "já vai sair?".... Aff! Será que é tão difícil assim?

Ia ser tão bom chegar ao fim de uma semana como a que eu tive, ter para quem olhar nos olhos e abraçar (no melhor estilo "fragilzinha"). Poder saber que vai ter para quem ligar e que vá te acalmar caso se perca saltando no lugar errado a caminho do trabalho.
Claro e óbvio que peguei um táxi, mas seria tão fofo "ele" ter sugerido isso e não eu ainda ter que pensar e executar (na minha profissão já faço isso o tempo todo). Seria tão legal me iludir achando que "ele" se preocuparia comigo às 07:00 da manhã em um lugar feio e deserto onde nem taxistas queriam parar...

É... melhor mesmo comprar uma nova garrafa de vinho! huahuahauahuaha

Meninas, prendam a Ana no Albergue, o "caso" é para camisa de força!Será que surtei de vez? nesses dias eu juro para vocês que lembro da existência do "PP" e na teoria de alguns amigos.CALMA! Eu disse, lembro, não disse executo....
Uma coisa é certa, a agenda deles bomba! rsss

Mas, não se assustem!
Minha TPM - e, consequetemente CARÊNCIA só voltam daqui a uns 28 dias!!!!!!!!
Até lá eu já esqueci que quero um namorado - ou não! rssss


Bjo

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Hoje é dia de "CHICO"

Feliz aniversário Chico!


Minha História - Chico Buarque
Composição: Lúcio Dalla / Paola Pallottino

Ele vinha sem muita conversa, sem muito explicar
Eu só sei que falava e cheirava e gostava de mar
Sei que tinha tatuagem no braço e dourado no dente
E minha mãe se entregou a esse homem perdidamente, laiá, laiá, laiá, laiá
Ele assim como veio partiu não se sabe prá onde
E deixou minha mãe com o olhar cada dia mais longe
Esperando, parada, pregada na pedra do porto
Com seu único velho vestido, cada dia mais curto, laiá, laiá, laiá, laiá
Quando enfim eu nasci, minha mãe embrulhou-me num manto
Me vestiu como se eu fosse assim uma espécie de santo
Mas por não se lembrar de acalantos, a pobre mulher
Me ninava cantando cantigas de cabaré, laiá, laiá, laiá, laiá
Minha mãe não tardou alertar toda a vizinhança
A mostrar que ali estava bem mais que uma simples criança
E não sei bem se por ironia ou se por amor
Resolveu me chamar com o nome do Nosso Senhor, laiá, laiá, laiá, laiá
Minha história e esse nome que ainda carrego comigo
Quando vou bar em bar, viro a mesa, berro, bebo e brigo
Os ladrões e as amantes, meus colegas de copo e de cruz
Me conhecem só pelo meu nome de menino Jesus, laiá, laiá
Os ladrões e as amantes, meus colegas de copo e de cruz
Me conhecem só pelo meu nome de menino Jesus, laiá, laiá, laiá, laiá


Bom final de semana a todos!

E, feliz aniversário para o homem que mais amo. É o mais amado por ser o que demonstra em atitudes (mesmo com todas as brigas e lágrimas que já derramei) há exatos 37 anos, 5 meses e 10 dias o quanto me ama e, portanto, o quanto merece ser amado e respeitado por mim! Te am♥ pai. Herói é pouco. Você é muito, muito mais que isso...



quinta-feira, 18 de junho de 2009

No novo tempo....

Foto tirada na sala do "Albergue"

Novo Tempo -Ivan Lins (Ivan Lins / Vitor Martins)

"No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça"


Pois é! tanto tempo depois, cá estou eu novamente!
Novidades?????????? várias! mas a principal é essa: Agora eu moro no Albergue! he he he

Trabalho novo, endereço novo. Só falta amor novo! hauahuahauabauhauaaha

Claro, nem tudo são só flores já que fiquei fisicamente longe de minha família, alguns amigos (da antiga e novos), do meu quarto, enfim do "meu Mundo" mas foi necessário.
Estava me questionando muito várias coisas, me cobrando outras e resolvi que era "agora ou nunca". Aproveitei a oportunidade e resolvi arriscar.

Trabalho numa rua feia, num lugar horrível, mas em uma empresa próspera e que não está no vermelho. O desafio é grande sim, mas a vontade de vencer é maior.
Então queridos, usei todo meu otimismo e sempre que dá dou uma chegadinha na área externa só para olhar a Igreja da Penha lá no alto toda se sentindo! Aliás, ainda não cheguei a conclusão se a acho mais bonita na hora que o sol se põe ou quando escurece e sua iluminação parece me deixar bem próxima à ela.

Outra coisa é o trajeto para chegar no Albergue! PQP... descubro (a cada dia) o quanto São Gonçalo é linda e Niterói a verdadeira "Cidade Sorriso" mesmo com todas as piadinhas idiotas sobre nossa amada terra e nosso índio na Estação das Barcas!
Aqui é tudo tão diferente... e as pixações? aonde eu passo elas existem. Tudo tão feio, tão cinza...
Claro, tem muitos bairros bonitos e charmosos também, mas... estou falando só do meu trajeto. Que fique bem claro! rsss

Trabalhei em São Francisco um bom tempo e fazia questão de sair de casa mais cedo para não deixar de passar pela Estrada Fróes! putz...
Aquilo que era paisagem!

Meu Deus! é cada lugarzinho que está difícil me acostumar. Mas, chegar no albergue sã e salva com a certeza que é o "melhor que posso fazer nesse momento" (By Lelê), me faz agradecer muito a Deus. Nosso cantinho é super aconchegante, muito bem decorado pela minha amiga. Simples e "na medida"! rsss

Fui muito bem recebida e agradeço essa oportunidade. Me sinto super a vontade aqui.
E, tem uma parada maneiríssima! A paisagem... aff! é só questão de olhar para o ângulo certo.

Sempre temos opção! o melhor ou pior lado. Escolher este ou aquele caminho. Eu escolhi olhar para frente. Para o horizonte!
E, como tem valido a pena. Nunca imaginei que conseguisse ver de algum outro lugar o nascer do sol com a mesma emoção de quando estou na praia! pois bem... da janela do meu quarto a paisagem é indescritível.
Lindo demais! E, com a Serra de Teresópolis e Guapi ao fundo...

Se me acostumei? claro! É questão de escolha lembra?

Nesses dias que andei "por aí" também li "A Cabana". Simplesmente amei e sei que muito de minha postura atual se deve ao que reaprendi lendo esse livro.

Enfim, voltei. Espero conseguir colocar a leitura dos blogs em dia. Coisa que eu amo é ser acompanhada e acompanhar vocês! rsss

Beijos